Páginas

La Niña


Enquanto discutia a relação com a minha melhor amiga na faculdade, ouvi sair da boca dela, palavras amargas, que percebi, verdadeiras.
Não é a primeira que ouço alguém dizer: "Você se molda!"
Ao ouvir essa frase familiar, pela 3ª ou 4ª vez, sempre de melhores amigas, parei para refletir, afinal, quando as forças são maiores que você, tem que se pensar, e analisar o que que há de errado, ou no mínimo esquisito!


Certa vez ouvi coisa parecida de um bom e velho amigo guitarrista e cabeludo, e do meu lado estava a pessoa mais significativa na minha vida depois dos meus familiares: meu namorado.
Ele que sempre ouve meus resmungos, prestou atenção no meu desabafo: "Será que sou mesmo assim?! Sempre achei ter personalidade, e essa foi sempre a única qualidade que eu enxergava em mim: o fato de ser eu mesma, de agir como quero, de vestir o que me sinto bem, de não seguir modas, padrões! Juro que eu achei que tinha algumas opiniões já formadas, alguns conceitos concretos! O que está acontecendo com a tal da minha personalidade?! A única coisa que eu achei que tinha, se foi pelo ralo e eu agora não tenho mais personalidade! - E essa foi a mais brutal crise existencial pela qual eu passei!
- Você olha sempre o lado negativo; já percebeu que sua personalidade pode ser tão abrangente, que você se relaciona com todo tipo de pessoa, sem deixar de ser quem é!? - Sempre tão consolador!
E essa foi a frase que me fez refletir e chegar a Ana Cristina, a Nina, que eu sou hoje!


Por longos times, em tempos remotos de rebeldia eu levantava a voz e batia no peito: NADA EXERCE INFLUENCIA EM MIM! Sou assim! Não mudo!
Não foi um cuspe que caiu na minha testa, mas poéticamente uma enxurrada de saliva me inundou!

Tantas rotações a Terra deu em volta de seu próprio eixo e eu percebi que, assim como a própria Terra sofreu mudanças, o PLANETA, grande, que comporta milhões e milhões de seres humanos problematicos que criam blogs para desabafar e contar causos, oxx, se este mudou, quem sou eu pra não fazer o movimento de rotação, quiçá de translação!
Foi desmatada, abriram-se feridas kilométricas na sua camada de Ozônio, muitas partezinhas de si foram arrancadas, sem dó, nem piedade, sujaram seu sangue cristalino e azul, a agua que sugamos dela, como que um cordão umbilical, na qual dependemos para sobreviver... sofreu e sofre, como uma grande mãe não é!? Assim La Niña, essa menina, sofreu dores, perdas, traições, falsidades, difamações...chifres... ¬¬'
Ora, mas é muito egocentrismo pensar em algo tão grande né!
Tudo bem, sou LARVA então!
Aquela larvinha graciosa que todos abominam, acham nojenta, e sem pensar duas vezes pisam encima, antes de virar borboleta. Assim como esta, sofri metamorfoses, mudei de corpo, de mente, de vestimentas, já me encasulei, e fiquei isolada no meu mundo, no meu casulo, por longos dias até decidir sair de lá e voar, e ter a minha, MINHA liberdade! Muito prazer, meu nome é otário, vindo de outros tempos, mas sempre no horário, um peixe fora d'água: BORBOLETA NO AQUÁRIO! - me encaixei nos versos de Gessinger


La Niña, essa menina, vive trilhas sonoras, vive uma mistura dos poema-canções de Renato Russo, com o "não faz sentido" de Engenheiros do Hawaii, um toque de ousadia, um violão desafinado, uma voz SEMPRE FORA DO TOM, que até que se encaixa na melodia!
A menina da Pedagogia, da unesp, que quer mudar o mundo através de suas crianças, mas que também quer conhecer a história, porque conhecendo o passado, se muda o presente, e talvez se construa um futuro mais agradável!


Aquela rockeirinha contradita que curte um Metallica, mas que sempre quis dançar balé! Aquela garota que se vê por aí uma doida desvarrida, que ri alto e nem se dá conta que todos a olham pensando: Que retardada!
Eu sou só aquela garota, que nem aos pés da Jamie Sullivan, vai a igreja, pra tocar uma guita loka, ou cantar um rockristão, nem saia longa nem cabelão (por enquanto), mas calça jeans, e tênis! Declara mesmo seu amor por Jesus Cristo, e os outros? Deeeeixe que riam, pode chamar de "beatinha", "papa-hóstia", "Ana cristã", "Madre Ana Cristina", e blablablá, todos tão normais e nada criativos ¬¬'
E nem quero parar na guitarra hein! bater cabeça é bom, mas que venha o piano e seu lindo som, os violinos e "celos" que embalam lindas partituras, MÚSICA DE QUALIDADE! Ahhh. Que venham telescópios e estrelas, peças de teatro, poemetos moderninhos escritos á caneta nas aulas de sociologia, erros de ortografia, sintaxe!


La Niña acredita em homens puros, românticos, e que ainda querem algo sério. AINDA DEPOIS DE TUDO QUE PASSOU, consegue acreditar.
Que faça parte do meu Eu, viagens de faculdade, de namoro, e claro, de primeira, segunda, terceira, e lá vai cacetada, luas de mel, em Fernando de Noronha, Italia, Paris. Que faça parte do que eu serei um dia todos os Hallels e Summer Nights, todos os shows do Ceremonya, todas as viagens de Itapuí, Jau, Bauru, que eu fizer observando as paisagens borradas correndo pela janela de um busão.


Cada sonho, cada golpe da vida, cada realidade sofrida, cada doce momento, ME COMPÕE, por isso, EU NUNCA SEREI CONSTANTE! Tudo que é exato não é pra mim! Mas sou declaradamente, imundamente: HUMANA! Erro, erro, erro, conserto, confesso, ERRO! Humana!
Esse é o limite: SER humano. Todos são. Todos iguais, todos iguais, mas uns mais iguais que os outros! E eu, eu fico com ser apenas IGUAL!
Porque se ser diferente é normal, pode ter certeza, que eu sou igual!


E hoje agradeço a todas as críticas construtivas, de ter um "molde", que me fizeram passar por crises existenciais mas que me renderam bons posts. Aos meus pais, amigos, namorado e professores, que ajudaram a me construir. Até pareço aquela casa ali da esquina que nunca termina de ser construída, chega no acabamento, e para, um reboque aqui, outro ali. Mas assim prefiro, mudar, e mudar, e construir, construir e mudar, MOLDAR! ME MOLDAR!
Assim como chocolate toma forma de bombom, de ovo de páscoa, de barra!
Assim como fondue casa com morango, uva verde, kiwi, queijo, e até PALAVRAS!


LET'S FONDUE!