Páginas

sexta-feira, 22 de março de 2013

Espera que arde

É estranho essa sensação de estar procurando vestígios de alguém em algum lugar!
Achei que isso ia demorar pra acontecer de novo.
Mas como sempre me atirei de bung-jumping!
Já sinto falta, já sinto saudade, já enlouqueço com a ausência, e fico assim, elétrica até altas horas da madrugada procurando preencher esse buraco com uma música que me traga a mais vaga lembrança manchada do meu príncipe...
Procurei no som dos grilos da noite a sua voz docinha, procurei na escuridão o branco do seu sorriso, procurei no teto as linhas da sua face, inspirei fundo buscando um rastro do seu cheiro.
Finalmente me enrolei no cobertor me consolando, sem seu abraço.
Agora uma coisa me parece tão clara! Sei que essa falta, mesmo quando as vezes nos vemos 3 vezes num mesmo dia, essa falta é a falta que uma esposa sente... quando está em roda do fogão preparando algo, ou quando seu companheiro de todos os dias é o tanque de lavar roupas. É a espera! A espera do amado que está pra chegar sujo do trabalho que sustenta a casa.

Essa falta! É isso! Uma falta que está entre uma saudade forte e um apego, mas não é nenhum dos dois. É um tipo de espera que arde! É espera de esposa. Descobrir isso foi como ter um insight.