Páginas

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

De onde vem a Inspiração?!

Já ouvi um milhão de palestras que citam Rubem Alves. Pensei: Vou pegar um livro dele e ver o que esse cara fala. Então vi um título que me impressionou tão logo:


“Ostra feliz não faz pérola”. A ostra, para fazer uma pérola, precisa ter dentro de si um grão de areia que a faça sofrer. Sofrendo a ostra diz para si mesma:

“Preciso envolver essa areia pontuda que me machuca com uma esfera lisa que lhe tire as pontas…” Ostras felizes não fazem pérolas… Pessoas felizes não sentem a necessidade de criar. A ato criador, seja na ciência ou na arte, surge sempre de uma dor, Não é preciso que seja uma dor doída…Por vezes a dor aparece como aquela coceira que tem o nome de curiosidade. Este livro está cheio de areias pontudas que me machucaram. Para me livrar da dor, escrevi”
Essa é a mais bela das metáforas que explicam a maioria dos meus posts, minhas escassas poesias, e pingadas filosofias. A dor, que as vezes transborda do lugar que vem, se derrama e transforma-se em textos, maneira tão sublime de comunicação é essa tal de dor, seja a de sofrimento, seja a de curiosidade, e eu, por vezes possuo as duas, por vezes, fico looongos dias sem sentir essas dores, sem ter uma areia me cutucando.
 Coincidi exatamente com sua teoria do criar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diálogo?