Páginas

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Razão




O fato é que: QUANTO MAIS CONHECIMENTO ADQUIRO, TANTO MAIS ADMITO MINHA PEQUENEZ.
Enquanto é mais fácil pra alguns encher o peito e gritar: Eu sei!
NÃO. NÃO SABE. Todos nós apenas ACHAMOS que sabemos, pois nossa vida é simplesmente baseada em hipóteses. A própria gênese é hipótese. Estudo comprovado disso, ciência acolá, todo mundo enfiando a vida num microscópio e tentando decifrá-la. A questão que deixou muito pensador de épocas passadas por aí de "cuca queimada!"
E no entanto, onde fica a verdade? Nos escritos da Alexandria, quem sabe no Vaticano, quem sabe ela foi queimada pelos mesmos meteoros que atingiram os dinossauros.
Quanto mais filosófico, tanto mais sem respostas.
Quanto mais metafísico, mais parece inalcançável.
É um abismo de interrogações.


O que há afinal de concreto nisso tudo?
Qual o limite do abstrato? Pera aí, abstrato tem limite?!
Minha mente se perde numa órbita de intermináveis questões.


Enquanto isso, a crença é a única esperança que me resta...
de que UM DIA, eu finalmente vou poder enxergar o que aqui neste lugar, não consigo entender.
______________________
Fato a parte: 
Abri uma enquete de quando tinha por volta de 12 anos.
Havia uma questão: 1 - Se pudesse desvendar um segredo, qual seria?
Respondi duas coisas: A origem da vida, e os limites do Universo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diálogo?