Páginas

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Mundo Precoce


Chegará o momento em que olharei pros meus netos, sentadinhos em meu colo e direi:
"Querida, no meu tempo de escola, ainda existia um professor. E esse professor era respeitado. Eu sou do tempo da lousa e do giz, minha pequena. No meu tempo as meninas namoravam com 15, 16 anos. Engravidavam com uns 30, as que tinham juízo. Faziam faculdade pra ajudar o marido com as despezas da casa futuramente. Os terrenos ainda custavam 25mil."

O que será com a aceleração visível do ritmo de vida humana!?
Será que vou presenciar a Era do beijo aos sete, nove anos!?



Da fornicação acontecendo em praça pública, sem receios!?

Vi um menino chegar no posto, com o olho sangrando.

Uns pontos perto da sombrancelha, e a causa: uma menina.
Ele tinha apenas 10 anos.

Quando eu for conversar com a minha netinha e meu netinho, não queria que brinquedos fossem mitos, e árvores fossem lendas! Que água fosse comprada a preço de ouro. E que já existisse uma droga que em dois ou três consumos ela já mata. Dos celulares-robô, da tecnologia substituindo o ser humano COMPLETAMENTE.
Ahh futuro! Que medo você me causa ás vezes.
Eu, sinceramente, gostaria de acreditar mais em um mundo melhor, que vive as coisas em seu tempo certo, sem pressa.
Que faz algo pra contêr a máquina de destruição em massa.

Será possível falar das flores daqui uns anos!?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diálogo?