Páginas

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Em meio aos meus quereres

O que senti, sinto e ainda sentirei muitas vezes, é esse ciúme incontrolável, que eu luto em não demonstrar, que eu luto em desfazer, que eu luto em curar...
Algo que está inclusive na minha genética, no sangue familiar por parte de mãe e pai.
Não conheço um na minha familia que não seja excessivamente ciumento.

Apesar de o alvo dessa doença ser na maioria das vezes, sim meu namorado, hoje senti ciumes, de um fato! '-'
De alguma coisa.
De não ter aquela amiga por perto.
E de querer fazer parte daquela rodinha de bom papo de novo.

Senti ciume daquela garota cheia de oportunidade de estar por perto dela sempre.
Senti loucas vontades de ter OPORTUNIDADE, de ser aquela amiga que você perdeu, e até hoje tá no fundo do seu olhar que você não superou isso!
Queria ser como ela, e ter o valor que ela tem.
Não é inveja não. Porque inveja é crescer o olho, é desejar o mau. E ao contrario do que eu sinto.
Quero te ver tão feliz... mas queria estar por perto pra dividir, compartilhar, merecer.

Queria aquela vaga.
Queria voltar a ser digna do post de alguém.

Querer.. uh são tantos quereres
E você.. tão especial. Tá no meio dos meus quereres!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diálogo?