Páginas

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Um fim de tarde bucólico


Se eu tivesse um pincel e 3 tubos de tinta a oleo na minha mão naquele momento, eu pintaria o céu exatamente daquele jeito: as nuvens estavam um laranja suave, o céu estava tingido de lilás e azul. Alguns pontinhos brilhantes começaram a aparecer no céu. Vênus já estava lá reluzindo e impondo sua autoridade.

A hora do crepusculo estava chegando, podia sentir a brisa fria entrando pelas lacunas nas janelas. 6 e meia da tarde o céu já estava roxo escuro com 5 ou 6 pequenos lustres. E lá estava ela.

Não era de cristal. Parecia um doce. Uma bala. Não! Não. Um pirulito. Um Confetti laranja resplandescente na noite, fazendo travessuras, brincando de se esconder na copa das árvores.

As sombras passavam pela janela do ônibus, como manchas. O balançar do transporte quando passava pelos buracos no asfalto não me desviou a atenção. Tornou até mais mágico.

Órion está quase se pondo. E o malvado Escorpião já surge aos pouquinhos.

A natureza sorriu pra mim. E ela sabe que sorrir é meu dom.

Retribuí toda a sua simplicidade. Reparei em todos os seus milagres.

Contemplei cada momento de um cair de tarde bucolista.

Até que o cansaço pesou como uma âncora em minhas pálpebras, mas só agora estou calma. E posso começar um novo dia livre de qualquer extress.

O remédio mais eficaz para esta doença modernista, nenhum cientista necessita de anos de pesquisa para desvendar. Mas está no interior de cada pessoa. Está em saber aproveitar os remédios naturais. As coisas adocicadas da vida.

O remédio é a simplicidade.
Pe.éçe: na verdade o André está aki do lado criticando meu post. provavelmente ele não comentará. Outro dia ele disse umas 5 vezes que a minha blusa era de avó :D
E o titulo do post ERA um fim de tarde BUCOLISTA :D
mas por correções e criticas (espirro!) eu mudei ;D
ah, salvo meus erros ortográficos na palavra ESTRESSE, e na palavra modernista :D que na opinião dele deve ser usada para termos literarios ou culturais.

2 comentários:

  1. Eu disse que iria comentar, e aqui estou eu. Rá!

    Eu já disse como eu acho incrível a sua capacidade de olhar pra uma coisa tecnicamente simples, e conseguir fazer uma descrição tão perfeita e complexa dessa coisa? É, pois é.

    E o final me fez refletir. A natureza está sempre ali, e parece que nunca ninguém procura se acalmar com ela. Sempre quando eu sonho com um momento mágigo - e impossível de acontecer -, eu estou em um lugar verde, que tem umas pedras e um rio. Às vezes tem uma cachoeira. E eu nunca tinha parado pra pensar que talvez o que tivesse feito aquele sonho virar perfeito, tenha sido o lugar, e não o acontecimento.

    Amei o post. Sério :)

    ResponderExcluir
  2. Aii coraçããããão. Sabee. È isso. è exatamente no ponto que vc tocou, que eu queria que as pessoas enxergassem. Cara. Você tem noção do que é uma transformação de emoções quando vc ta num lugar especial?
    Eu, particularmente, amo lugares verdes. Akeles simplesinhos, cheios de arvores que deixam as florzinhas cairem no chão.
    Há um tempinho atras vivi algo muito bonito.
    Estava com a pessoa certa. Debaixo de uma arvore. E Chovia. Não de molhar de enxarcar. Mas de você sentir o ar umido. as gotinhas. E é incrivel o poder de uma canção. Agora junta todos esses elementos. Só sei que no fim, tudo parecia sonho.

    Eu acho que as pessoas pouco apreciam as pekenas coisas ao redor.

    Bells, meu docinho. muito obrigada pelos coments que são sempre bem vindos. E por todos os seus incentivos. Eu te amo.

    ResponderExcluir

Diálogo?