Páginas

domingo, 4 de abril de 2010

Quarenta dias de deserto

Jesus foi para o deserto fazer jejum para se reaproximar de Deus, ouvir Ele falar. E foi tentado, várias vezes.

Penitência? Eu não sabia o que era isso. Eu apenas dizia: não vou tomar coca cola, não vou comer chocolate; não vou comer carne. Sempre, sempre quebrava antes de acabar.
E desta vez eu disse: "Vou fazer penitência de carne. E dessa vez é muito sério. Vou cumprir."
E todo dia rezei para que Deus me auxiliasse e que Jesus permanecesse no meu coração. Porque Se nem só de carne vive o homem, eu viveria então com Jesus. Com as palavras Dele. Eu só precisava que Ele permanecesse comigo, então não precisaria de carne, e não cairia em tentação.
Um dia depois da missa de ramos, que foi a primeira missa (linda por sinal) que eu fui com a pessoa que eu mais amo neste mundo, eu disse para essa pessoa: "Dessa vez não vou cair em tentação, porque dessa vez tenho comigo uma coisa que não tinha antes. Eu tenho Jesus me dando forças!"
E hoje acabou. E sinceramente não to com vontade de comer carne :D
E a quaresma trouxe os benefícios a mim. Meu principal objetivo era me reaproximar de Deus. E a cada dia que passava, eu O sentia cada vez mais perto de mim. Eu O visitei, eu confessei, e voltei a comungar depois de ANOS sem sentir o gosto da comunhão. Eu me senti acolhida de novo. No grupo, na igreja, por Ele.
Senti Ele participando na minha vida. E ninguém sabe o quanto isso é mágico, só os que também sentem. Você pede: "me mande um sinal, que caminho devo seguir Senhor?" E ali está Ele, com o sinal, e a decisão certa. As graças começam a aparecer. O emprego, a paz, o namorado, as brigas param de acontecer, e as curas começam a aparecer. A cura daquela carência insaciável que sentia, que nada no mundo preenchia, porque aquele era o Lugar Dele no seu coração. Mas você não O deixava entrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diálogo?