Páginas

segunda-feira, 5 de abril de 2010

solidão gradual

Eu já vi vários posts começando com: "isso é mais um desabafo, do que um post."
ok, esse é 99% desabafo, e 1% post :D

Sabe aquelas noites, que você fica esperando sono pesar sua cabeça no travesseiro, mas ele não chega, e então você fita o teto, e relembra seu dia!?
Foi uma tarde de sábado, que parecia um domingo. Eu, meu namorado e minha melhor amiga.
Fazia um tempinho que não a via. Mas com a bells é diferente. Não importa quanto tempo passa ela parece sempre estar perto. Ela fica feliz, com a minha felicidade. Ela é meu docinho. Eu realmente saí naquela tarde, com as 2 pessoas que eu mais amo nesse mundo.

Mas nem só de coisas boas são feitos os dias.
Aquele dia foi feliz. E de repente um medo muito forte bateu em mim.

Nunca fui lá de ter inumeros amigos. Sempre tive poucos, até pelo meu jeito de ser, as vezes insuportavel na opinião de algumas pessoas :D

E os poucos que tenho, não me procuram mais.
E eu estou cansada de procurar por eles.
Ligar, convidar, contar, animar.
E talvez até a com bells fique assim um dia.

Em véspera de uma das decisões mais definitivas na minha vida, eu queria poder ter um ombro pra chorar. Mas sabe como é: alguns passam o namorado na frente, ou a faculdade, ou o ACASO. ou simplesmente nem ligam mesmo.
E eu fiquei perguntando pro teto: e se aqueles amigos também não foram verdadeiros?

Eu não queria que terminasse assim.
Eu não quero ficar lá, sozinha, porque a solidão é a unica coisa que me corrói e me machuca mais que tudo. Me abomina a ideia de não ter com quem conversar, e do teto ser minhacompanhia o dia todo. Eu adoro estar aqui, podendo abraçar, beijar, não estando fragil e vulneravel.
Meus cabelos são feios, mas eu prometo não reclamar mais deles.
E eu posto isso porque 2 ou 3 pessoas irão ler :D

Eu sinto falta daquela minha amiga que me incentivou a fazer o blog, da maneira como ela aaparecia do nada quando eu tava sentindo dor. E até da maneira como ela rejeitou meu abraço uma vez, tentando brigar com o destino.
Eu sinto falta daquela minha amiga inteligente, que me chamava do jeitoque eu gostava, sinto falta de quando ela tava ali prestando atenção na aula, e eu ficava chamando a atenção dela, atrapalhando seu aprendizado.
Sinto falta daquele amigo que ia sempre visitar a biblioteca e que me aguentava, matava uns minutos das ultimas aulas pra saber como eu estava. Que no inicio, bem lá atras, num simples gesto, se tornou inesquecivel, e que me aguentou, ressalto, de uma maneira surreal, foi a pessoa que mais me aguentou nesse mundo. E que hoje deixou nossa amizade no acaso. Por culpa minha, que fique bem claro.
Eu sinto falta de quando aquela menina dançava ballet comigo quando tocava queen ou kamelot.
E sinto falta dos abraços que recebia quando me sentia mal na escola. Sinto falta das dores que me faziam rolar no chão, a doença só é boa nessa parte. Porque com as dores horríveis vinham os abraços. Aquela minha amiga que tinha um instinto maternal foi a que mais desapareceu.
Eu sinto muita falta dos abraços que deixaram ematomas.
Sinto falta de quando a gnt brigava nos trabalhos escolares.
Sinto falta das loucuras que aquela minha amiga desandada me contava e eu ficava de boa aberta
Sinto falta das idiotices e até dos toquinhos de celular ¬¬'
Sinto falta de uma amigo que conheci e que quase foi morto. Que mesmo muito muito longe, me fazia sentir como se estivesse perto. Das musicas que ele fez pra mim.
De quanto eu caía da escada descendo pra cantina, por causa dos meus problemas na perna, e ela ria de mim e me segurava depois.
E daquele amigo que tava no lugar certo e na hora certa. Que ainda não confia em mim. mas que tem minha confiança.
Eu sinto tanta falta de todos os que considerei verdadeiros.

E quando eu estiver lá dentro e não puder sair, será pior. E quando eu sair, se um dia eu sair, vai ser pior que pior.

E Graças a Deus, agora eu tenho minha força do meu lado. E é por ele que to fazendo isso. Como diria a minha banda favorita dos ultimos meses: "only love can change your life! you decide!" eu decidi.

E fazer esse post ouvindo UNCONDITIONAL, foi mto trash.

domingo, 4 de abril de 2010

Prova de amor maior não há

Nem só por mim, nem só por ele,
Mas por todos nós.
Não me deixe também lavar as mãos.
Não me deixe também lavar as mãos.
Numa cruz construída pelos nossos pecados
Seu sangue foi derramado
Para o mundo ser purificado
Ontem Te chamavam de Rei, hoje te chamam de verme.
Cuspiram na sua cara, Te flagelaram,
Você teve sede, e bebeu vinagre.
"Tudo está consumado!".
E será que Ele ainda está vivo? Vai lá e confere.
A lança te rasgou, e Você verteu água.
Todos os joelhos se dobrarão
Pois prova de amor maior não há
Que doar a vida pelo irmão.
Meros humanos que pensam que sabem o que é o amor.
Como podes nos amar tanto?
Como podes nos amar tanto?
Como pode nos perdoar, e nos aceitar de volta sempre?
Misericórdia é algo que só cabe a Ti, que é Divino.
E não foi só por mim, nem só por ele,
Mas por todos nós.
Que se dispôs a toda a dor, a toda humilhação.
Qual é o tamanho do Teu coração?
Você que espalhou todas suas palavras pela Terra
E realizou tantos milagres
Teve de pagar pelos nossos crimes, chagado,
Teve de beber vinagre.
Até água te negaram
Pregos foram cravados
Espinhos perfuraram Tua cabeça
Lançaram sorte sobre sua túnica
Um homem foi obrigado a lhe ajudar a carregar a cruz.
Com um só olhar ele se converteu.
Uma mulher enxugou teu rosto
E entoou canto de tristeza.
E como nada parece ser maior do que esta prova de amor.
Você deu sua vida, por nós.
E nenhum verso, nenhuma poesia,
Será o bastante para demonstrar minha gratidão.
Eu que nem sei rimar,
Venho a Você homenagear.
Por ter sofrido por mim
Por todos,
E ter morrido assim.
"ó, Pai, em tuas mãos, entrego meu espírito!"
Até em seus últimos momentos, perdoou um ladrão
Que mais tarde entraria com Você no paraíso.
Filho, eis aí a tua mãe.
Mãe eis aí teu filho.
Pai perdoa-os, eles não sabem o que fazem.
"Jesus Nazareno, Rei dos judeus"
Ensina-me a ser fiel ao Pai até o fim
Como Você foi.
E me dê força para continuar em minha caminhada.
Não me deixe também lavar as mãos.
Não me deixe também lavar as mãos.
Pois eu nunca me esquecerei da prova de amor que me fizeste.
E dos seus inúmeros sacrifícios.
Jesus Cristo, como as mulheres que naquele dia choraram.
Hoje eu chorei.

Sexta da Paixão

Sexta feira da Paixão do Senhor. As 10h tinha adoração dos jovens. Será que eu agüentaria? Eu não durmi. Cheguei em casa das mil ave marias as 7 e meia da manhã. E literalmente, entrei, e fui naturalmente direto pra cama, DESMAIEI.
Acordei eram Nove e meia, num pulo, lembrando da adoração.
Chamaram-me pra cantar, mas eu não sabia as letras.
Isso me deixou triste. Mesmo assim eu fui, e participei. Com muito sono. Mas não me deixei vencer.
As onze acabou, eu fui almoçar. Três da tarde, havia a missa da Paixão. Claro que eu não perderia. Mais duas horinhas de sono.
Nem precisa dizer que a missa foi maravilhosa. Todas as missas que o padre Romeu reza são lindas, porque ele reza cantando, e ele é muito afinado.
E quando a missa acabou, o padre disse: "As oito horas da noite haverá a procissão do Senhor morto. Tragam velas. Está chovendo, eu sei. Mas com chuva, ou sem chuva, haverá a procissão."
E eu faltaria se estivesse chovendo?
Claro que não. Mesmo lembrando que minha sombrinha estava quebrada. :S
Ás 8 eu estava lá. Estava chovendo, e eu estava sem sombrinha. :D
O guarda chuva do meu irmão tava com uma aba quebrada também. Deixei ele ir com o guarda chuva sozinho. E meu cabelo já tava pingando, eu espirrando. Um pouco atrás de mim estava a Fran, com o Markinho. O guarda chuva do Markinho é bem grande. E a Fran e ele estavam com guarda chuvas abertos.
Quando ela me viu, Molhada, sem sombrinha, ela pos a mão no meu ombro, me entregou a sombrinha dela, e disse: "Pode ir com a minha, que eu vou junto no guarda chuva do Markinho".*_________*
Eu peguei a sombrinha e continuamos a procissão.
E Pela Fran, eu me senti acolhida, mais uma vez.

A Semana Maior

Eu então estava me virando no avesso para agüentar 2 empregos. Um das 7 as 5 e um das 6 e meia as 9 e meia. E sinceramente eu estava tão cansada, que onde eu encostava eu dormia. Meu corpo fraco já não estava mais agüentando, mas firme eu tentava continuar. E eu senti muito por não poder ir a missa de lava pés que seria na quinta a noite. Eu estaria no emprego.
Foi então que eu rezei pedindo um sinal a Deus, pra saber com qual dos dois empregos eu teria de ficar, pra poder agüentar. E no dia seguinte eu recebi uma ligação dizendo que eu teria que pagar ida e volta do ônibus pra cidade que eu trabalhava. Eis o sinal. Pra eu pagar o ônibus, eu pagaria, pra trabalhar. Tive que sair do emprego a noite. E saí na quarta feira. E a missa era na quinta. Sacaram? Saoksaopaksopas
Enfim eu pude comparecer, e foi linda, emocionante, maravilhosa, e se eu perdesse, eu ficaria muito triste mesmo. A Fran, e o Markinho estavam entre as pessoas que o padre lavou os pés. Estava também José Maria, meu catequista de Crisma 3, que despertou em mim vontade de ser catequista. E também duas crianças e alguns ministros.
Além de lavar os pés, teve a celebração da ultima ceia. Também cantada.
E até hoje, fazemos isto, em memória Dele.
Foi também dia de rezar pelos sacerdotes.
E o que me impressiona, é que por mais demoradas que sejam as missas desta semana especial para os cristãos, o tempo lá dentro, não importa.

1000 Ave Marias
Um evento, que também seria na quinta. Melhor, nos primeiros momentos da sexta feira santa. Seria na comunidade Sede Santos, que fica praticamente fora da cidade. Eu fui.
Munida de terço, um salgadinho e uma coca cola, eu viraria a noite rezando Ave Maria. Mil Ave Marias. As 500 primeiras rezamos sentados, alternando a ordem de inicio e fim: homens começam, mulheres terminam e vice-versa.
Mas quando deu 250, já tinha gente dormindo, gente falando que nem bêbado, gente se balançando pra não cochilar. Gente rezando bem alto pra acordar os irmãos, gente embaralhando as frases da oração. Eu ainda estava forte. Quando chegou perto das 500 EU JÁ ESTAVA MORRENDO DE SONO. E isso eram umas 2 e meia da manhã. Quando finalmente chegamos na metade, houve um intervalo para comilança. Enchermos o pando, como diria minha avó. E voltamos a rezar. Eu até tomei café pra agüentar.
MÃS.. foi muito difícil, rezamos mais 250 sentados. Eu ás vezes "pescava". Coçava o olho, e com muita força eu tentava manter os olhos abertos, até chegar uma hora que saía tanta água deles que eu fechei, mas ainda estava consciente. Meus cotovelos emcima dos joelhos com as mãos nos olhos. Eu me daria por vencida né? No fundo eu sabia que não agüentaria. NÃO AGUENTARIA SOZINHA. E eu não estava sozinha. Senti um chaqualhão nos ombros dizendo: "Acorda, catequista!". Era a Fran *-* E então reabri o olho, e recomecei a rezar. E quando a Fran viu que a coisa tava ficando feia e que todo mundo não agüentava mais, que ela, e o Rafa, e a Letícia e a outra Fran eram os únicos que ainda estavam fortes eles disseram: "Vamos rezar caminhando."
A gente saiu pelas ruas, no escuro, os cães latiam, algumas vacas mugiam. Osaopkspk, E A GENTE AINDA REZAVA, 5 DA MANHÃ.
Eu estava de braços dados com a Fran, e me sentia uma bêbada, bêbada mesmo. Porque tudo girava, as pernas trançavam, e ela tava ali, mais me segurando, do que me acompanhando. Agüentando o meu peso sobre ela. Quase caí, várias vezes. E então, o povo começou a reclamar de dor em tudo quanto é lugar. Ela disse pra sentar em roda, no meio da rua. Alguns desmaiaram por ali mesmo. Dormiram de roncar mesmo. SASAOKASOPA boa parte eu fiquei consciente. E sempre que ia ficar inconsciente ela me cutucava: "Acorda, catequista!". Até que Ela mesma se cansou, e deitou no meu ombro. E eu a balancei e disse: "Acorda Fran!". Então acordamos todo mundo e continuamos caminhando. Seis e meia chegamos na cidade. As 7 na frente da igreja, terminamos as 1000 ave marias.
Foi uma experiência incrível. De ver até que ponto nós agüentaríamos, e quantas vezes tentariam te ajudar, quantas vezes seu irmão te agüentaria como um bêbado do lado dele. Ou se ele te abandonaria, e deixaria você dormir. Ou se sua solidariedade seria tamanha que seria para ele como carregar uma pessoa nos ombros, uma cruz.
Obrigada Fran.

Escolhida

Foi assim que tudo começou. Pouco tempo antes de começar a quaresma. Antes do carnaval. Eu estava na missa de domingo a noite. E ouvi alguém me chamando, dizendo: "Vai ser catequista de criança". "Vai ser catequista Ana." E enquanto falavam, as imagens vinham em minha cabeça.
Foi forte, muito forte mesmo. E naquele dia eu soube o que é uma vocação.
Depois acabei discutindo com Deus. Afinal, por que eu? Por que alguém que já cometeu tantos pecados, que já julgou a igreja, que já não teve crença em nada? Porque a Ana? Se ela não é digna de toda essa confiança, de toda essa responsabilidade. Se ela não é digna dessa missão.
Se ela começou a caminhar uma vez e desistiu pouquíssimo tempo depois?
Eu não podia aceitar esse convite. Eu não era digna dele.
E isso aconteceu num sábado.
Domingo a noite, missa. Será que o grupo de jovens ainda existia? Ou todos lá haviam desistido, como eu? Vou conferir.
8:00h da noite, no salão paroquial, haviam 6 pessoas lá. 6 PESSOAS? Onde estão as 30 que tinha? :0
Então entrei ali, como quem não queria nada. Pra ver se haveria grupo ali. E as pessoas foram chegando. Até completar as 6. Eu era a sétima. E de repente o Rafa disse: "Vamos começar".
E então o Markinho começou a tocar, e o Mauricio cantar. O GRUPO AINDA EXISTIA!
E eu estava ali.
Chegada a hora da pregação. Quem fez? A Fran. Que desde a outra vez que eu caminhava, já estava no grupo, há alguns anos. E eu já havia saído há uns 5 anos.
Tudo, exatamente tudo o que saiu da boca dela CABIA A MIM. Mesmo ela não sabendo disso ;D
E foi como se Deus estivesse falando pela boca dela. Dizendo: "Não cabe a nós entender porque Ele nos escolheu. Mas Deus, nunca, nunca dá a nós uma missão, que não sejamos capazes de cumprir. O que temos que fazer, são nossos 50%. Porque os 50% Dele, Ele faz."
E então eu mudei de idéia. Já que Ele me escolheu, eu tenho mais é que dizer sim, e ir com tudo cumprir com o que Ele me pediu. Porque os 50% Dele, Ele faz. Ele providencia. Ele vai me ensinar a ser catequista. E um dia Ele falará através da minha boca, como fez com a Fran naquele dia.
Ela falou também de São Paulo, que não se achava um bom pregador. Na segunda carta aos Coríntios, ele diz que não sabe pregar. Nos Atos dos Apóstolos, um rapaz estava ouvindo sua pregação, cochilou, caiu da janela e morreu. São Paulo rezou e ressuscitou o menino.
E raciocinando sobre isso depois, eu pensei que eu, poderia talvez, ter sido uma boa escolha. Afinal, se eu estava disposta a aprender, e se Deus sabe que sou capaz, porque não? Porque Ele escolheria uma pessoa que já sabe tudo não é? Se Ele pode me converter, se Ele pode fazer de mim a Escolhida. Naquele dia eu disse:
SIM. Eu vou.

"Porque eu, justo eu? Eu não sei porque eu, se eu não sei nem falar. Porque eu, eu não sei, eu só sei que a Ele um dia eu neguei".
Mas será que um dia eu vou conseguir encarar quem eu sou de verdade se...
Ainda quiser caminhar, preciso os passos aumentar, e quando eu O alcançar eu vou entender.
Muitas vezes duvidei, Nele não confiei, ainda assim nada mudou, então me chamou. Agora onde quer que eu esteja, sua mão estará lá, e não há como evitar o seu amor.
E até hoje ainda me pergunto: "Porque eu, justo eu? Eu não sei porque eu, se eu não sei nem falar. Porque eu, eu não sei, eu só sei que a Ele um dia eu neguei".
Mas será que um dia eu vou conseguir encarar quem eu sou de verdade se...
Ainda quiser caminhar, preciso os passos aumentar, e quando eu O alcançar eu vou entender."
Ainda me pergunto - Rosa de Saron

Quarenta dias de deserto

Jesus foi para o deserto fazer jejum para se reaproximar de Deus, ouvir Ele falar. E foi tentado, várias vezes.

Penitência? Eu não sabia o que era isso. Eu apenas dizia: não vou tomar coca cola, não vou comer chocolate; não vou comer carne. Sempre, sempre quebrava antes de acabar.
E desta vez eu disse: "Vou fazer penitência de carne. E dessa vez é muito sério. Vou cumprir."
E todo dia rezei para que Deus me auxiliasse e que Jesus permanecesse no meu coração. Porque Se nem só de carne vive o homem, eu viveria então com Jesus. Com as palavras Dele. Eu só precisava que Ele permanecesse comigo, então não precisaria de carne, e não cairia em tentação.
Um dia depois da missa de ramos, que foi a primeira missa (linda por sinal) que eu fui com a pessoa que eu mais amo neste mundo, eu disse para essa pessoa: "Dessa vez não vou cair em tentação, porque dessa vez tenho comigo uma coisa que não tinha antes. Eu tenho Jesus me dando forças!"
E hoje acabou. E sinceramente não to com vontade de comer carne :D
E a quaresma trouxe os benefícios a mim. Meu principal objetivo era me reaproximar de Deus. E a cada dia que passava, eu O sentia cada vez mais perto de mim. Eu O visitei, eu confessei, e voltei a comungar depois de ANOS sem sentir o gosto da comunhão. Eu me senti acolhida de novo. No grupo, na igreja, por Ele.
Senti Ele participando na minha vida. E ninguém sabe o quanto isso é mágico, só os que também sentem. Você pede: "me mande um sinal, que caminho devo seguir Senhor?" E ali está Ele, com o sinal, e a decisão certa. As graças começam a aparecer. O emprego, a paz, o namorado, as brigas param de acontecer, e as curas começam a aparecer. A cura daquela carência insaciável que sentia, que nada no mundo preenchia, porque aquele era o Lugar Dele no seu coração. Mas você não O deixava entrar.