Páginas

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Ele não é humano! Ele é um anjo, é impossivel.

- O que achou Amy? - Ela ainda me perguntava? AQUILO ERA EXATAMENTE OS ADJETIVOS QUE ELA ME PROPUSERA ANTES: lindo, surreal, utópico.
- É, simplesmente, encantador. Eu não imaginaria esse lugar. Minha imaginação enfeitaria algo bem mais singelo.
- Bem vinda a Terra dos Condenados Amy. - Boas Vindas? Eu nao seria bem recebida pelas bruxas, nem pelos seres assustadores irreais no meu mundo, seria?
- Talvez! Não sabemos como eles agem com os humanos, é a primeira vez que isso acontece! - É muito injusto anjos saberem o que pensamos assim. É invasão de privacidade!
- Você tem que parar com isso Chris. - Adverti
- Desculpe - ela sorriu encantadoramente, como sempre. Aquilo também era injusto, soava mais como feitiço pra perdão.
Na entrada do lugar maravilhoso, verde, azul, e com cheiro de flores, havia uma arpa.
- Arpa Chris? - perguntei intrigada.
- Amy, é um tipo de lingua dos Condenados. Você acaba de me lembrar do objetivo de ter trazido você aqui! Você precisa conhecer a pessoa responsável por você estar viva! E você precisa saber QUEM mandou pra esse lugar! - Senti uma ponta de culpa, mas ao que me pareceu, nao podia ser tão ruim estar naquele lugar!

Chris tocou três notas na arpa, que som lindo tem aquele instrumento! Só podia mesmo ter aquela musicalidade angelical. As cordas reluzentes douradas prendiam minha atenção, ao que me parece, o instrumento servia como o telefone no nosso mundo.
E de repente, a unica coisa que conseguiu desviar minha atenção do lindo instrumento estava estabilizado numa leve postura por trás dos espaços entre as cordas.
Ele parecia tão surpreso quanto eu.
Seus olhos eram inquietos, subiam e desciam em minha imagem bem a sua frente, analisando cuidadosamente cada respirada anciosa, curiosa, acelerada. Tinha o cenho franzido, tive a impressão de que ele quis dizer algo em vários momentos, sua boca oscilava, mas nada saía dela. Pensei na possibilidade de Chris estar falando com ele em pensamentos. Como eu era pequena ali.
O Ser deu três passos sem tirar os olhos de mim. Ele estava de calças brancas. Não havia nada cobrindo seu peito, imaginei que devia ser pelas asas. Brancas, e enormes. Imaginei quão lindas elas ficariam abertas para o voo. Analisei cada detalhe nele, meu olho estava preso ali, por um momento parecia sonho, se nao fosse meu coração disparado, eu acordaria na cama neste momento. Olhos castanhos, e cabelos castanhos também. Não havia aquilo que eu esperava: cabelos loiros, e olhos claros, azuis da cor do céu. Ele era um anjo, um anjo condenado, e era diferente de toda linhagem de pensamento que eu tive até aquele momento, mas era... desculpe, não há adjetivos humanos capaz de defini-lo.
Se ele tivesse algum defeito sequer, eu nao enxergaria com os meus olhos. O brisa balançava os cachos que pendiam na testa, a presença dele ali deixava tudo mais irreal ainda. Eu desejei acordar. Desejei acordar antes de saber o que é o amor, pela primeira vez. Uma corrente de sentimentos passava pelo meu corpo, que eu nunca havia sentido antes.
Ainda não havia se movimentado, parecia uma escultura, pensei em quantos segundo haviam se passado, e desejei poder ficar horas ali em pé atrás da arpa olhando pra ele.
De repente, Chris rompeu o silencio de maneira tão brutal, que eu me assustei.
- Amy, esse é o anjo de que te falei. Jeliel, esta é a humana que você salvou.
O olhar dele correu pelo rosto de minha melhor amiga-anjo-humana, logo depois voltou pra mim colérico!
- Não se parece nada com a menininha de 15 anos que eu salvei! - A sua voz surpresa, era encantadora, era mais uma musica, um sopro numa flauta não seria tão angelical.
Quando percebi que os dois estavam me fitando tentei desviar o olhar. Meus olhos foram ao chão rezando para que quando eu levantasse a cabeça ele ainda estivesse ali.
- Amy? - Espera! ele havia dirigido a palavra a mim! Meu Deus, eu nao ia conseguir responder! Tentei encontrar minha voz.
- Oii. - Foi a unica coisa que saiu, com a voz tremula para ajudar!
Lentamente aproximou-se de mim, imaginei que sua surpresa é como quando encaramos um disco voador no céu, por exemplo. Ele tinha a mesma expressão. Mas não era assustadora, era serena, incrédula.
- Você cresceu tanto! Está tão diferente. - A ponta dos dedos dele tocaram meu braço, eu reagi imediatamente, meus olhos se fecharam, eu apenas senti o aroma adocicado enquanto ele me tocou. Não dava para sentir o toque, a temperatura da mão era imperceptível. Ele pegou uma mecha do meu cabelo e deslizou pelos dedos, parecia tão absurdo quanto para mim a presença de um ser humano naquele lugar.
Por um momento me preocupei com o dom que os anjos condenados têm de sentir as sensações humanas. E mais que isso, ter poder para modificá-las! Com certeza eu ainda estava imovel ali porque Chris estava controlando meu estado de espirito.
- Amy, não são todos os condenados que tem esse dom. Jeliel por exemplo nao pode sentir o que você sente, mas com o tempo ele vai começar a decifrar as suas feições, sua face. Foi assim que eu aprendi a distinguir quando você está nervosa, triste e todo o resto das sensações que você tem. No começo foi muito dificil para mim. Creio que para Jeliel está sendo pior.
- Ele nao sabe oq ue estou pensando né? - Minha voz estava mais instavel quando saiu pela minha boca.
Quando percebi o anjo havia completado uma volta inteira ao eu redor e eu nem sequer consegui olhá-lo nos olhos por mais de 2 segundos.
Eu nunca havia me apaixonado antes. E no entanto em alguns instantes eu sabia que meu coração seria dele por toda minha vida. Um sentimento tão puro, tão avassalador ao mesmo tempo. Eu ia explodir com tantas sensações correndo pelas terminações nervosas de meu corpo.
Não havia nenhuma razão. Era loucura. Loucura. Eu tentei colocar minha cabeça no lugar para pensar com racionalidade! É impossivel. Nao posso me apaixonar por ele. Tantos humanos na Terra, e eu tive que me apaixonar por algo tão impossivel. Imediatamente me obriguei a romper com todas as ilusões que automaticamente o coração humano cria quando se apaixona. "Ele é um anjo, Não é humano, é impossivel Amy. Seja racional!"
- Amy, é tão dificil assim conter o sentimento?
Ela sabia que era amor. E dessa vez ela nao ia poder controlar!

3 comentários:

  1. Ana, seu talento é realmente peculiar! Fikei completamente presa ao enredo!! É uma história absolutamente nova, mas ao ler, me senti completamente familiriarizada!
    Com, sempre, a leveza da sua escrita é SEMPRE o seu ponto mais forte, mas não posso deixar de falar das suas descrições: são perfeitas! Breves e completas ao mesmo tempo!
    Já estou apaixonada pela história!
    Quero o capítulo 2!!!

    PS: Eu realmente senti o cheiro das flores ao ler a descrição!!! shiauhsaiusha

    ResponderExcluir
  2. Eu me apaixonei pela história logo que você me contou sobre ela. Sei lá, não é uma coisa como todos os livros, é uma coisa nova, diferente *-*
    E eu amo o seu jeito de escrever.. Já te disse que acho muito criativo e me sinto humilhada :(
    E eu to suuuper ansiosa pra ler o resto da história, mesmo sabendo o que vai acontecer IOHSIADOHAIOSDHIOASHDOIHASD. É que com você escrevendo fica BEM mais emocionante!
    Parabéns! :B

    ResponderExcluir

Diálogo?