Páginas

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Ana e o Mar

"Ana e o mar... Mar e Ana


Todo sopro que apaga uma chama


REACENDE O QUE FOR PRA FICAR!"


[- O Teatro Mágico : Ana e o Mar]


  • Eu nunca vi o mar. Está na minha lista de sonhos vê-lo.

  • E eu quero ver a noite. Quando a Lua também estiver presente, e as estrelas estiverem cobrindo o céu e iluminando a imensidão negra da noite, então poderei contemplar das mais lindas coisas que existem.

  • Eu nunca vi o mar. Mas pretendo vê-lo um dia. E ver aquelas conchinhas coloridas que minha tia trazia pra mim quando viajava.

  • Eu nunca vi o mar. E tanta gente já viu, e várias vezes. Viu aquelas ondas azuis trazerem a espuma branca borbulhante até as margens.

  • Eu nunca vi o mar, e talvez esteja distante de conhecê-lo, mas minha ânsia pelo caminhar naquela areia molhada faz renovar minhas esperanças.

  • Eu nunca vi o mar, mas quando ver, vai ser tão emocionante ouvir aquele barulhinho de aguá mechendo, e poder avistar barcos lá no horizonte.

  • Eu nunca vi o mar, nem comi nada que venha dele.
Apenas de duas maneira eu consigo ver o mar. Uma é como quando a gente pega fotos de parentes que a gente nunca viu. Assim eu vejo o mar pela televisão, e pelas paisagens de calendários. Outra é quando sinto minha cabeça já aconchegada em meu travesseiro, e meus olhos pesados até fechar, e quando eles fecham, e eu perco a consciencia da realidade, poucas vezes posso vê-lo, em sonho.


Espero um dia poder fazer isso sair do surreal.


Afinal, como pode uma menina apaixonar-se pelo mar sem nunca tê-lo visto?

Ah eu sei como é.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diálogo?